“Queremos ser a opção verde na mesa das pessoas”

Se a pauta é gastronomia em Porto Alegre, um lugar está protagonizando conversas e discussões por aí: Urban Farmcy, restaurante cujo slogan é “Let’s redefine the future of food” (assim, em inglês mesmo). Com referências do tipo estampadas pelo ambiente – “hyper local food”, “keep earth sexy”, “change your food, change your mood” – a Urban Farmcy foi concebida para ser mais do que um lugar que serve comida. O próprio nome é um trocadilho com fazenda (farm) e farmácia (pharmacy). O objetivo, como nos contou Tobias Chanan, um dos sócios e idealizador da Urban, é promover um conceito que trabalha com dois pilares: cultivo e alimentação.

– Estamos desenvolvendo uma rede de fazendeiros urbanos. A ideia é que as pessoas comecem a fornecer diretamente umas para as outras, e consumam do produtor que está por perto, isso é o hiper-localismo – resume Tobias.

Qualquer um pode ser fazendeiro urbano. Os módulos, como são chamados as estruturas de plantio, ocupam pouco espaço – cerca de 1,20m – e podem ser mantidos dentro de casa. Tobias explica que, neste sistema, é possível produzir folhosas e micro-greens, estágio da planta com 15 dias de vida, que podem ser até 40 vezes mais nutritivas e saborosas do que uma planta mais “velha”. A longo prazo, o objetivo é criar uma rede de micro-fazendeiros urbanos, estabelecendo um consumo muito mais consciente e sustentável.

“Queremos mostrar que o alimento verde, saudável, pode ser tanto ou mais saboroso do que o alimento da cozinha clássica”


Urban Farmcy/Reprodução

É antigo o desejo de Tobias de empreender uma marca de alimentação. Fundador da Body Store (empresa de cosméticos recentemente adquirida pela L’Oréal), onde ficou por 20 anos, Tobias sonhava em iniciar uma marca engajada socioambientalmente. Só não sabia como:

– Eu comecei cozinhando sabonetes e sempre quis abrir um restaurante, ter o alimento como produto. A ideia nunca foi ter uma rede com franquias: a Urban existe para gerar impacto, não para rentabilizar sócios e acionistas.

Em 2015, Tobias foi viajar para buscar inspirações. O período de imersão, com idas e vindas, durou dois anos: Milão, Munique e Los Angeles são alguns dos lugares pelos quais passou. Foi quando pôde observar alguns movimentos acontecendo, como o de hiper-localismo; as plantas como elemento fundamental na prevenção de doenças e a técnica raw, que mantém as enzimas vivas do alimento. Durante a estadia em Nova York, onde estudou na Natural Gourmet, Tobias buscou mais inspirações. Ao lado dos sócios Bernardo Spirali e Tiago Loth, ele viu, pela primeira vez, uma plantação vertical no topo de um prédio. Nascia a ideia das fazendas internas.

Urban Farmcy/Reprodução

No topo de tudo isso, a Urban Farmcy quer redefinir a cultura da alimentação. Não é um movimento próprio, eles deixam bem claro, e sim um ideal no qual a equipe acredita e se engaja.

“A ideia nunca foi ter uma rede com franquias: a Urban existe para gerar impacto”

– Aí entra a parte do restaurante, a experimentação. A gente quer mostrar que o alimento verde, saudável, pode ser tanto ou mais saboroso e vibrante do que o alimento da cozinha clássica – conta Tobias.

Não se trata de uma proposta vegana ou vegetariana. Aliás, não existe nada de restritivo na Urban, que busca incluir e não restringir. Tobias também acredita que quando começamos a ter consciência da alimentação, também geramos uma séria de impactos ambientais positivos:

– Ainda estamos muito longe de onde queremos chegar, mas, com as pessoas sentindo prazer em se alimentar dessa forma, cumprimos o nosso grande dever que é se engajar na mudança do futuro da alimentação.

Urban Farmcy
@urbanfarmcy
Rua Hilário Ribeiro, 299 – Porto Alegre (RS)
De domingo a sexta, das 11h30 às 22h30 | Sábado, das 10h às 22h30

Seja o primeiro a comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *