Room 77: um lugar para o Bitcoin em Berlim

Com poltronas desgastadas, luz fraca e uma profusão de adesivos no banheiro, o Room 77 poderia ser só mais um bar de Berlim. Cartazes com mensagens políticas, como Free Snowden, Free Chelsea Manning e Free Ross Ulbricht coexistem com um cardápio que informa, logo de cara, que não, não há hambúrgueres vegetarianos, “não insista”. Diversas opções de bebidas e hambúrgueres preenchem boa parte do cardápio, que também informa: cartões não são aceitos, mas criptomoedas sim. Bitcoin, em especial. Ross Ulbricht, cujo rosto está estampado em alguns adesivos e cartazes pelo bar, foi preso em 2013 por ter criado e comandado o Silk Road, um mercado online que operava na darknet e cujo principal meio de pagamento era Bitcoin. Antes de ser informado sobre a forma de pagamento por meio do cardápio ou por mensagens mais sutis espalhadas pelo ambiente, quem vai ao Room 77 pode notar nas janelas pequenos adesivos informando sobre o aceite de Bitcoin. Caso eles sejam pequenos demais em um ambiente escuro demais, um B enorme e luminoso oferece a solução.

Aceitar Bitcoin não é exatamente raro atualmente, muito menos em Kreuzberg, bairro onde fica o Room 77. Mas foi lá, precisamente nesse bar, que Bitcoin assumiu uma outra dimensão. Criada como uma criptomoeda descentralizada, seu uso era basicamente restrito a compras online. Embora atualmente cada vez mais comércios aceitem Bitcoin como forma de pagamento online, como o supermercado alemão Edeka, o pagamento via Bitcoin nas lojas físicas ainda não é uma opção. Foi no Room 77, no entanto, onde o uso de Bitcoin passou por uma inflexão, tornando-o o primeiro lugar físico no mundo a aceitar a criptomoeda. Seguindo o mesmo modelo, outros estabelecimentos na região também passaram a aceitar Bitcoin como forma de pagamento, levando alguns a se referirem a área como Bitcoinville (embora, desde então, muitos dos lugares acabaram fechando as portas).

Aos que forem a Berlim interessados no tema, o Room 77 sedia um encontro regular sobre Bitcoin na primeira quinta-feira de cada mês. Só chegar e participar. Aos que forem a Berlim com Bitcoins e queiram gastá-las (se livrando do IOF do cartão de crédito ou das taxas de câmbio), há também outras opções. A cervejaria Bereit Wilko Privatbrauerei am Rollberg (Am Sudhaus 3) e o café/sorveteria Oak & Ice (Schönhauser Allee 52) também aceitam. Caso a idea seja menos gastronômica, comprar um livro e fazer uma tatuagem talvez seja uma boa opção. Nesse caso, a Otherland (Bergmannstraße 25) e a Bitch-Wedding (Burgsdorfstraße 4) oferecem a solução.

Comércios abrem e fecham, passam a aceitar Bitcoin e param. Outros aceitam, mas os funcionários não foram exatamente treinados para isso e não sabem como reagir (aconteceu no Oak & Ice, mas provavelmente foi resolvido). Nenhuma dessas opções tem a mesma desenvoltura para lidar com Bitcoin que o Room 77 demonstra todos os dias. Talvez hambúrguer com cerveja no “marco zero” ainda seja a melhor opção.

Por Marcos Andrade Neves

Room 77
Graefestraße 77
Berlim

Seja o primeiro a comentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *